Noa está desde cedo envolvida no mundo das artes. Escolhe, aos 10 anos, o violino como instrumento principal, porque “não tinha casa para colocar uma harpa”.

Nascida numa família sensível às artes, começa a compor juntamente com o seu pai. Este trabalho surge no seguimento de uma necessidade de transição para um lugar onde o seu gosto pela poesia se conjuga com o prazer de se expressar através da música. Não sabe com exatidão qual o seu género musical visto as influências surgirem de vários espectros musicais e temporais. Não só amante da música brasileira e do jazz clássico mas também dos ritmos mais quentes, Noa funde diferentes estilos que estiveram presentes no seu crescimento musical.

Em palco, destaca-se pela empatia que cria espontaneamente com o público que lhe reconhece o talento, a sinceridade e a humanidade com que se entrega às artes.
Conta na sua carreira com inúmeras parcerias com outros artistas de renome nomeadamente Mico da Câmara Pereira, Nuno Barroso, André Sarbib, Cristina Bacelar e também com artistas brasileiros: Armandinho Macedo, Luiz Caldas, Margareth Menezes, Gabriel Póvoas, Targino Gondim.

Estreia-se em 2015 com o álbum de originais “As Coisas Boas” lançando em 2018 o segundo trabalho “Cicatriz” (2018)